Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

A caminho do futuro

   Ana Margarida Costa - Critical Software, Southampton - U.K.

 

 

Esta foi a frase que muitas vezes me passou pela cabeça no momento em que vim para Southampton integrada no Inov Contacto. Não sabia muito bem o que me esperava, mas o desafio era enorme e tinha muita vontade de o abraçar porque estava a Caminho do Futuro. Assim também acontece com muitas empresas, nomeadamente com a Critical Software, empresa onde estou integrada.

A Critical tem cerca de 10 anos de existência e tem tido um crescimento extraordinário (rodando os 60% ao ano!), estando por isso entre as empresas que mais rapidamente cresceram a nível europeu.

A Critical ambiciona ir mais além, daí que aposte em três pilares fundamentais para ter capacidade de ganhar escala e, consequentemente, gerar riqueza.

Assim, a estratégia da Critical Software a Caminho do Futuro assenta na:

 

·         Aproximação dos mercados mais evoluídos, mais massificados e maduros a nível tecnológico, onde o preço não é um factor de exclusão e onde as competências são amplamente elogiadas. Os sectores mais valorizados são o Espaço, a Defesa e a Aeronáutica, áreas onde a Critical tem valor reconhecido. Contudo a aposta nos sectores e mercados mais exigentes não põe em causa a presença da empresa noutros sectores mais tradicionais, como as finanças, telecomunicações e indústria;

·         Utilização com a máxima eficiência de todos os canais de exportação, nomeadamente através de UK, cobrindo o Norte da Europa e os EUA e através da Roménia cobrindo todo o Leste Europeu. Para “atacar” a América Latina a Critical vai apostar no Brasil (assunto que será explorado mais adiante). Esta aposta no exterior deve-se ao facto da empresa querer estar instalada nos núcleos mais importantes, onde se encontram os “players” deste mercado. Desta forma será dado um forte passo para a manutenção do actual crescimento;

·         Criação de novos produtos, de modo que a área de desenvolvimento da empresa não se restrinja só aos serviços mas se dedique também aos produtos tecnológicos. Um bom exemplo dessa aposta é a Edge Box (para mais informações ver http://www.edgebox.net/).

 

 

Porquê Brasil?

É incontornável a importância que o Brasil assume a nível económico, não só no contexto da América Latina, mas também a nível mundial, integrando-se no grupo das 4 economias emergentes – BRIC – que em 2040 representarão 50% das maiores economias mundiais.

Actualmente o Brasil é líder em TI na América Latina e tem um mercado doméstico considerável. É também no país irmão que existe uma forte presença de fornecedores internacionais de TI, onde existem boas infra-estruturas de comunicação e o custo dos recursos humanos é bastante competitivo. O factor do fuso horário também é uma vantagem uma vez que permite tirar partido do mesmo no decorrer dos projectos.

Desse modo, a Critical pretende abrir caminho neste país carregado de oportunidades. Para isso o primeiro passo será encontrar um parceiro adequado (para ter alguma garantia de sucesso), uma vez que ainda existe algum descrédito das empresas portuguesas no outro lado do oceano.

Contudo, apesar de ser um mercado bastante atractivo, existem algumas dificuldades na entrada para o mesmo, nomeadamente, nos vistos de trabalho, dificultando por isso a deslocação de quadros de Portugal. A legislação aduaneira, fiscal e tributária ainda é algo confusa e de difícil entendimento e com permanentes alterações. A dificuldade de acesso a crédito bancário é também um factor menos positivo, uma vez que as taxas de juros são excessivamente elevadas.  

Outra dificuldade, também associada ao mercado brasileiro prende-se pelo significativo risco de mercado, justificado pelo “Quadro regulador das concessões públicas” que ainda está pouco estável e com frequentes alterações. Isto acontece também com outros serviços públicos, provocando por isso alguma demora no fecho do processo de criação de uma empresa.

 

Esta será mais uma aposta da Critical Software para continuar a elevar o nome de Portugal além fronteiras porque apesar de "serem cada vez mais e mais interessantes, as empresas portuguesas da indústria do conhecimento, o ideal seria que não se pudessem contar pelos dedos das mãos"[1]

 

Porque a Critical sonha mais e melhor a Caminho do Futuro.

 



[1] Gonçalo Quadros, CEO Critical Software in Lusa

publicado por visaocontacto às 06:00
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28

.Artigos recentes

. NOVO LOCAL

. Vila do Bombarral recebe ...

. Empreendedorismo Contacto...

. Encontrão C3

. Contacto 13, solidário em...

. Carreiras: Rui Cristo (C1...

. Existências - Expo de Pin...

. Um pequeno gesto... Um gr...

. Mensagem de Natal

. Os contactos continuam a ...

. PROGRAMA CONTACTO - algun...

. Início do Contacto 14

.Edições

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds