Segunda-feira, 21 de Julho de 2008

Uma vez em Dublin

Ricardo Almeida

 

 

Logoplaste  

Dublin   |   Irlanda   |   C11

 

Tinha decidido que seria prioritário viver uma experiência internacional que me enriquecesse tanto a nível pessoal como profissional, era essencial para mim deter um added value que me permitisse obter uma vantagem comparativa num mercado que exige bastante versatilidade. A altura era a mais conveniente, entre outras razões, porque existia a possibilidade de acomodação ou possível perda da oportunidade. Para a realização deste objectivo as alternativas eram algumas, e entre elas, claro está, o Inov Contacto pela AICEP. Após várias fases de selecção fui finalmente aceite, e mais tarde informado, para minha surpresa, que o meu destino seria Luanda, para uma empresa que desconhecia – a “Eusébios”. Por um lado estava consciente de que seria uma excelente oportunidade pois Angola encontra-se em grande desenvolvimento. Não obstante estava igualmente consciente de que as diferenças culturais, sociais e económicas seriam totalmente diferentes de tudo o que estava habituado. No entanto, o cenário alterou-se, pois uma vez conformado e já ansioso para partir e conhecendo a dimensão da empresa, fui informado de que Luanda já não seria o meu destino. A principal preocupação consistia em saber se a “nova” empresa estaria de facto tão interessada e empenhada em receber um estagiário como a “Eusébios”. Eis que, ao sair de um exame de mestrado, recebi um telefonema que me levava à Logoplaste no Éire. Uma mudança, embora radical, não menos interessante.

A Loplaste, empresa que trabalha no sector da transformação do plástico, nasceu em 1976, e tem vindo a apresentar um crescimento médio de 19% ao ano. Está presente em 12 países, num total de cerca de 50 fábricas e 1271 membros e é líder do sector em Portugal, 3ª maior na Europa e a 5ª no Mundo. A empresa foi pioneira no sistema “in the house”, que consiste na implantação do sistema produtivo junto de parceiros como a Nestlé, a CocaCola, a Unilever, a Procter & Gamble, entre outros. Ao grupo da Logoplaste, pertence uma pequena empresa irlandesa que iniciou funções em Setembro de 2006, com o objectivo de uniformizar toda a organização logística e operações de compra e venda do grupo. A empresa é chamada Universal Resin Company. Neste momento, conta com quatro colaboradores e trabalha com mercados como Portugal, Reino Unido, França, Holanda e Itália e cerca de 20 fábricas no total.

 

Dublin, em gaélico, Baile Átha Cliath, é uma cidade multicultural, o que permite contacto quase permanente com imigrantes de todo o mundo, facto que permite uma adaptação muito mais fácil e agradável. Os pubs tradicionais, a música celta, e o povo irlandês, genuinamente simpático e agradável, criam um conjunto de vivências custaria muito deixar para trás A única contrariedade no país e na cidade é o clima. O Verão parece não passar por esta ilha. A adaptação foi também muito fácil na URC, onde tive oportunidade de trabalhar com pessoas muito competentes e que me ajudaram muito desde o início do meu estágio. O desenvolvimento pessoal e o profissional são inegáveis, num ambiente em que todos os dias, há algo a aprender, facto que é bastante motivante e gratificante. Neste momento, posso afirmar que faço o que gosto e em muito o devo ao programa INOV Contacto. É uma iniciativa indiscutivelmente importante para os jovens portugueses, sobretudo para aqueles que ambicionam uma carreira internacional. É para mim um motivo de grande orgulho pertencer a este projecto e dignificar o nome de Portugal na Irlanda.

 

tags:
publicado por visaocontacto às 16:52
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 11 de Junho de 2007

Sim, a Irlanda é diferente.

    João Santos, Deleg.ICEP, Dublin, Irlanda.
Vejo a Europa de hoje como um espaço alargado de confluência de culturas, um pequeno mundo inserido no Mundo. O sentimento europeu parece-me, em grande parte dos casos, sobrepor-se ao tradicional sentimento nacional, tal a integração que se verifica no Velho Continente.
 
Chegado à Irlanda, deparei-me com uma pergunta que imagino comum a muitos outros colegas: o que tem este país de diferenciador face a outros países da mesma área geográfica? Ao fim, de quase quatro meses, julgo ter algumas respostas.
 
O factor mais imediato é o clima: intranquilo, imprevisível, oferece-nos num só dia as quatro estações do ano, tal a sua capacidade para nos surpreender.
 
Um outro aspecto que assume relevância nas relações sociais é a informalidade, visível não só no campo pessoal como na vertente profissional – na Irlanda serão tomadas tantas decisões empresariais num bar como numa sala de reuniões.
 
Um terceiro ponto, este de mais difícil habituação, é o sentido de humor irlandês. Sarcástico, acutilante, quase cínico, deve ser compreendido mas nunca subestimado.
 
Por último, o factor decisivo, condicionador de toda a vida social irlandesa: uma verdadeira pub culture, visível na qualidade e diversidade de bares existentes, na quantidade de cerveja ingerida, na animação dos finais de tarde.
Sim, a Irlanda é diferente!
publicado por visaocontacto às 15:05
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28

.Artigos recentes

. Uma vez em Dublin

. Sim, a Irlanda é diferent...

.Edições

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds